Tags

,

Os chefes de Estado do MERCOSUL se reuniram na última terça-feira, 31 de julho, em Brasília para a formalização da entrada da Venezuela no bloco, chegando ao desfecho de um processo de adesão que se arrastava desde 2006. Agora, a Venezuela terá um prazo para adotar a TEC (Tarifa Externa Comum) do MERCOSUL.

A anfitriã da reunião, a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, recebeu seus colegas de Argentina, Cristina Kirchner, Uruguai, José Mujica, e Venezuela, Hugo Chávez, para a oficialização da adesão venezuelana. O Paraguai, que também integra o bloco, não teve representante por conta de sua suspensão do MERCOSUL.

Foi a suspensão do Paraguai, inclusive, que possibilitou a formalização da entrada da Venezuela no bloco, já que a ratificação pelo Senado paraguaio, que se negava a fazê-la, era o único obstáculo que restava para a adesão venezuelana. Com a suspensão do Paraguai, por causa da destituição de Fernando Lugo da Presidência do país em processo relâmpago e sem acusações factíveis, Argentina, Brasil e Uruguai, cujos Parlamentos já haviam ratificado a entrada da Venezuela, decidiram levá-la adiante. O Paraguai continuará suspenso do MERCOSUL até a realização de novas eleições presidenciais, previstas para o início do próximo ano.